Lima: Introdução, Dicas e o que Fazer

Lima. Olha, de verdade, se eu pudesse moraria lá por uns meses só pra poder fazer um Lima para Chicas. Ainda não descartei a ideia. Lima, merece muito mais atenção do que tem: é ponto de escala para Cuzco e deu, o que é uma pena.

A ideia desses posts sobre a cidade é poder mostrar como, realmente, vale a pena dedicar um pouco mais de tempo a essa cidade que é, no mínimo, incrível. Portanto irão vir alguns posts delícias de lá.

O primeiro, esse aqui, é meio que uma introdução. Eu fui para Lima para participar de alguns eventos gastronômicos que estavam rolando na cidade. Lima foi super intensa e eu saí de lá com a sensação de que devo voltar assim que puder.

Saí de Buenos em um voo da Taca (Avianca). Achei bem bom voar com eles: avião grande, limpinho, bastante entretenimento a bordo. De Buenos para Lima há duas opções de voos diretos, esse da Taca foi o que me pareceu com melhor horário. Foram pouco mais de 5 horas de viagem. A paisagem é bem linda, passamos pelas Cordilheiras dos Andes, pelo Atacama e finalmente pela costa do Pacífico, coisa mais bela.

Não precisamos de visto para viajar para Lima, é necessário só preencher o papel de imigração e o da alfândega nada mais. O aeroporto de Lima para desembarque é bem pequeno e o free shop não é nada de outro mundo. Eu não ligo muito para dutty free na real, então não prestei muita atenção.

Fui avisada logo de cara que os táxis peruanos são um tanto particulares, é necessário negociar com eles antes de subir a bordo. Assim que você desembarca e passa pela polícia e alfândega, passa pelo free shop e pega as suas malas (aqui que você deveria trocar dinheiro no caso de precisar), já dá de cara com um espaço onde tem vários prestadores de serviços de transfer. Aqui nesse espaço os caras cobram 50 dólares para te levar para o hotel, o que é um absurdo. Saindo então do desembarque, chovem taxistas oferecendo serviço.

Acabei pegando um que me cobrou 60 soles para me levar para o hotel do aeroporto. Tendo em vista que não eram 50 dólares, que a empresa era de confiança e que eu não tinha reservado nenhum transfer, achei uma boa. Tentei pechinchar mas o cara não cedeu, isso porque ele pertencia a uma empresa. O carro dele era super novo, cheirando a limpinho. E ele, um amor, foi dando dicas de onde comer na cidade, claro.

O aero de Lima é longe da cidade, quer dizer, não é longe, mas demora devido ao trânsito. Eu levei uma hora e meia, pelo horário, para chegar no hotel. O caminho tampouco é dos mais lindos. E ah, Lima é nublada praticamente todos os dias, umidade 300%. Ou seja, tu chega com cabelo de leão ahaha.

Enfim, trocar dinheiro em Lima é uma boa. Pelas diversas problemáticas que temos na Argentina eu levei daqui 150 dólares e cartões de crédito e débito. 150 dólares deram 400 soles. Achei, no geral, uma boa troca. E troquei no aeroporto. Sei que há uma rua em Lima que é tipo uma Florida para trocar dinheiro, mas sou meio imbecíl nesse aspecto e preferi fazer o câmbio no aero mesmo, não achei ruim a cotação. E ah, pedi também para que me dessem dinheiro trocado, assim você não paga táxi com 100 ou 50 soles. E evita pegar nota falsa, etc.

Não levei Visa Travel Money. Cartões são bem aceitos na cidade. Ou seja, com meus 400 soles e meus cartões eu passei bem os 4 dias que tinha na cidade. Lima não é uma cidade cara. Táxis não devem sair mais de 20 soles dependendo da sua localização e comidinhas de rua são uma barbada. Não me preocupei tampouco em entender o transporte público, fiquei tão pouquinho que achei que fosse ser um estresse entender as lotações, as empresas de ônibus diversas que te levam para o mesmo lugar. Enfim, não achei necessário.

Peguei dias agradáveis. Entre 15 e 18 graus, no máximo. E claro, sempre úmedo. Sempre nublado. Tão nublado que vários voos atrasam por condições climáticas, mas pelo menos, não chove nunca – ou quase nunca. Peguei um dia de sol só e ainda assim, o dia ficou meio nublado.

ROTEIRO:  é difícil demais falar o que fazer quando você não conhece o lugar, por isso o site da Manu o Cup of Things foi meu maior aliado para dicas básicas. Ela tem um post do que fazer em um final de semana em Lima que é uma mão na roda e te dá uma noção de localização de TUDO.

Basicamente a cidade se divide em: Centro, Miraflores e Barranco. Centro dá pra fazer rapidinho e ainda passando pelo Bairro Chinês que tem por lá e o Mercado para comidinhas de rua. Miraflores e Barranco requerem mais tempo e é onde você deve passar a maior parte da viagem porque é lá que estão os melhores restaurantes e bares e vidinha social.

Clarrrrrooo que tem muito mais que isso e sempre dá pra fazer muito mais coisa, por isso vira mesmo o blog dela de cabeça pra baixo para ter mais dicas. Eu fiz o básico pelo tempo e pela quantidade de eventos que eu tinha. Me dediquei muito a restaurantes e bares porque é o que eu curto fazer quando viajo, mas cada um é cada um.

Seguem aqui links necessários de programação da tua viagem pra lá:
– Blog de um brasileira fofa, Manu que mora lá, me ajudou DEMAIS: www.cupofthings.com
– Clima: www.br.weather.com
– Site do Banco Nacional: www.bcrp.gob.pe
– Site do Aeroporto: www.lap.com.pe
– Blog local de uma mina que ama comer: www.facebook.com/jamajamajama
– Site Oficial de Turismo Peruano: www.promperu.gob.pe

E aqui segue a lista de táxis de confiança que eu peguei por lá:
Pablo Días Ordinola (paulodiaz90@hotmail.com) – ele que fez meu transfer do Aero pro hotel, por 60 soles. Se der uma choradinha ele abaixa o preço. Além do transfer ele também faz qualquer passeio, etc. Telefone: +51 99689-5662.
Jason Castro Ley (jacaley7@gmail.com) – ele é um taxista independente que trabalhava com o pessoal do hotel que eu conheci. Carro novo, bem legal ele. Me levou de um bairro pro outro e também faz transfer. O preço é um pouco mais elevado, mas é bem de confiança, super limpo o carro, etc. Telefone: +51 98780-7815 ou 99249-4770.
Táxi Satelital (www.3555555satelital.com) – é uma das poucas empresas de táxi que tem. O preço é sempre dentro do padrão, eles fazem transfer do aero pro hotel e te levam pra qualquer lugar. Eu fui pro Aero com eles depois, me cobraram 40 soles. Achei bem bom o preço. Eles são bem conhecidos em Lima. Telefone: +51 3555-5555.

Amei Lima!

Um comentário em “Lima: Introdução, Dicas e o que Fazer

  1. Estive em Lima 2 anos atrás e foi uma grata surpresa, a cidade, o astral e muitas coisas pra fazer.,comida maravilhosa Adorei, tambem compartilho a ideia de que gostaria de morar uns dias lá, a unica coisa estranha é morar numa cidade nublada, com raros dias de sol.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s