Programando uma Viagem à Mendoza

Mendoza linda, já apareceu aqui no blog antes, mas nunca me canso de falar sobre ela, porque Mendoza… Ah, Mendoza.

Muita gente sempre me pergunta informações básicas sobre a cidade e 80% das pessoas acham que é pertinho de Buenos, mas a realidade é que não é. Seguem dicas cruciais para fazer teu roteiro pela tierra de los vinos:

– Como Chegar

Mendoza fica a uns belos 1000 km de distância de Buenos Aires, distância ok para ir de carro ou de bus, mas sempre avião é mais confortável. Indo de carro você leva cerca de 10 horas para chegar até lá (de bus umas duas horas a mais), a estrada é ok, não é uma Bandeirantes (em SP) da vida, mas é boa.

A vantagem de ir de carro é que você vai ter uma locomoção para usar por lá, coisa que realmente é necessária. Mas indo de bus ou de avião você, pelo menos, vai descansando e evita chegar a Mendoza cansado.

Não há ainda voos diretos do Brasil para lá, portanto escalas em Santiago, no Chile ou no Aeroparque em Buenos Aires, são necessárias. De Buenos Aires até Mendoza são, aproximadamente, 2 horas de viagem. Lan e Aerolíneas operam voos com frequência para a cidade.

Já, de ônibus você deve sair do terminal de Retiro em Buenos Aires, encontre informações sobre empresas que vendem tarifas para Mendoza, no site: www.tebasa.com.ar. Geralmente, a diferença de preço entre ir de ônibus ou de avião é compensada pelas horas ganhas. Mas vai de cada um.

– Como se Locomover

Eu sempre defendo o aluguel de carro em Mendoza, porque tudo é meio fora de mão. Você sempre vai estar longe de alguma atração, não adianta. E as bodegas ficam longe umas das outras, a única coisa que você pode fazer caminhando é conhecer a cidade mesmo, mas só isso.

Quando eu fui, logo que cheguei no aeroporto já retirei o carro para usar por lá, ainda que Mendoza seja complicadíssima para localização (faltam placas e mapas decentes, GPS é fundamental), o carro vai te facilitar demais no turismo e não vai te prender a passeios com agencias de viagens. No site da Welcome Argentina, eles dão um listado de locadoras de carros, a que eu usei foi a Mendoza Rent a Car, mas não há muita diferença entre elas.

Se você, ainda assim, não quiser alugar carro, reserve tudo com uma agencia de viagens ou com o auxílio do hotel que você for ficar.

– Bodegas

Mendoza tem vários picos de bodegas, vocês vão notar que existem vários mapas, mas na realidade são quatro regiões: Zona Norte, Sul, Este e Valle de Uco.

A Zona Norte tem um perfil mais popular, digamos. Por lá estão as bodegas demais fácil acesso por estarem mais próximas ao Centro da cidade. Por lá ficam os departamentos de Luján de Cuyo, Maipú, Guaymallén e Godoy Cruz. Essa região é ideal para quem quer misturar o urbano de Mendoza com o carisma das vinícolas. A maior parte das plantações presentes por lá são de Malbec. Já a Zona Leste tem a principal produção vitivinícola da província. Por lá há algumas bodegas boutique e outras bem industrializadas. E a Zona Sul é onde fica a região de San Rafael. San Rafael tem um vale maravilhoso, as bodegas por lá não são o principal atrativo do local, e sim os esportes radicais em épocas de verão e primavera. E finalmente, a região do Valle de Uco, onde tem além de paisagens exuberantes bastantes bodegas enormes dos departamentos de Tunuyán, Tupungato e San Carlos. Por lá estão as adegas de maior luxo e que produzem os melhores vinhos da Argentina, é obrigação visitar nem que seja uma vinícola por lá.

Ao total são mais de 1200 vinícolas presentes por Mendoza, algumas delas são: Catena Zapata, Pulenta Estate, Clos de Chacras, Norton, LopezMelipal, Lagarde, Belasco de Baquedano, Trapiche, Nieto Senetiner, Salentein, Jean BousquetClos de los 7, O Fournier, The Vines of Mendoza, etc. Ainda vou fazer um post especial só sobre as bodegas de lá, quais oferecem serviços legais e originais, etc. Mas aqui já dá para ter uma noção.

– Clima

Mendoza tem um clima seco. Isso quer dizer que no verão, lá pra Dezembro/ Janeiro e Fevereiro você vai pegar calorão, mas algo suportável porque venta e é lindo porque a plantação está exuberante. A melhor época para ir para lá é entre Outubro e Maio, clima agradável e paisagem bela.

Já no inverno, as vinícolas ficam cobertas de neve, faz bastante frio e voce pode aliar a degustação de vinhos com visitas a estações de ski como Las Leñas e o cerro Aconcagua.

– Hospedagem

Considerando a constante de que você vai ter que alugar carro, a região que você escolher vai depender do seu gosto. O Centro é legal e tem mais opções de restaurantes e vida noturna, os hotéis por lá são – em sua maioria – de redes e há poucas opções do seguimento “boutique”. Já, se hospedando em zonas vitivinícolas prefira a região Norte, principalmente a área de Luján de Cuyo – que tem uma aproximação ok do Centro de Mendoza, mas não deixa perder o clima gostoso de estar hospedado perto dos Andes e de plantações de uvas.

Em Mendoza, há vários hotéis que estão dentro de bodegas, os sites Wine Hotels Collection e o Argentina Wine Hotels mostram quais são e onde estão localizados cada um. Eu fiquei em um hotel boutique, perto de algumas bodegas, mas que não era dentro de uma vinícola, aqui o post dele.

De resto, use e abuse do Booking e do Splendia, que tem boas opções também.

– Outros Passeios

Para quem curte esportes, Mendoza oferece várias opções de lazer. Ir visitar o Cerro Aconcagua é uma das opções mais legais. Dependendo da época que voce for também vai poder ir até o centro de ski lindo, Las Leñas que fica a aproximadamente 5h da cidade. A cidade de San Rafael, oferece esportes radicais.

– Outras Informações

Site de Turismo de Mendoza: www.turismo.mendoza.gov.ar.

Site mão na roda para tudo sobre Mendoza: www.welcomeargentina.com/mendoza.

Sobre bodegas e rotas de vinhos: www.caminosdelvino.org.ar/mendoza.

Festa da Vendimia: www.endimia.mendoza.gov.ar.

Las Leñas: www.laslenas.com.

Créditos de fotos: 1) www.facebook.com/bodegassalentein/ 2) www.facebook.com/Rolland-Collection, 3) www.facebook.com/vinesofmendoza, 4) www.facebook.com/ofournier, 5) www.facebook.com/LasLenasResort

Vem pra Mendoza!

Cavas Wine Lodge, o melhor de Mendoza

Mendoza, foi de longe, uma das melhores viagens que eu fiz. Seja pela paisagem dos Andes que te persegue a cada passo ou a cada passeio de bicicleta feito, seja pelas bodegas que se repetem diariamente e cada uma com seu encanto único, ou pelos lugares secretos. Aqueles lugares únicos. Aqueles lugares nos quais você deseja que o tempo pare por ali mesmo.

Aqueles lugares feito essa única florzinha no meio da terra seca.

Lugares com paisagem seca, amo muito.

E, as vezes, nem são lugares e sim momentos. Tipo esse abaixo.

Um lugar como esse, é o Cavas Wine Lodge. Um hotel para poucos, e um restaurante para quem sabe bem o que quer. Ali eu posso assegurar que tive o melhor momento da viagem. Por isso deixo de falatório, e apresento à vocês nada mais uma das melhores experiências da vida.

Por lá, você nem bem chega e já é super bem recebida com uma copa de tinto de la casa, de bem-vinda.

Mas ok, vamos tirar a taça para você ver a beleza escondida atrás dela.

Bueno, de entradinhas, diversos pães com azeite de oliva. Vale lembrar que Mendoza é também conhecida não só pelas vinícolas, mas pelas várias plantações de oliva.

E isso é lá dentro. Tipo, sem palavras.

E essa é a vista do restaurante. Essa casinha que você vê ao fundo seria o ”quarto” do hotel. Cada quarto é uma casinha dessa. Chato néammmm? E esses ramos secos são plantações de uva. Como eu fui no outono, não estava tão belo, mas mesmo assim é demais.

E essa aí debaixo sou eu, deslumbrada com o que eu estava vendo.

Escolhemos um rosé para começar o trabalho. Dolium Petit Reserva Malbec 2008. Geladinho desce fácil que só.

Entradinhas de queijos com frutas da estação. E algo que eu nunca tinha pensado em fazer até então era maridar o rosé com morangos. Gentchy, é pra viciar, eu juro. Foto linda né?

Maior desafio era escolher um prato principal. Eu fui de ravioles de cordeiro com azeite de oliva e vegetais assados. Deus no céu, ravioles de cordeiro na terra.

E o segundo principal era um carneiro grelhado com chutney de peras e maçãs com batatas assadas ao vinho do Porto. Nome difícil, composição espetacular.

De sobremesa chocolate em três texturas com vários morangos delícia. O mais gostoso desses eram todos eheh, entendeu?

E um aperitivo para acompanhar a outra sobremesa escolhida: créeme brûleé de alecrim e lavanda e de laranja com canela. LAVANDA, gente! Morri.

Não quero mais nada da vida. Sério mesmo.

Cavas Wine Lodge
Costaflores s/n – Alto Agrelo.
Luján de Cuyo – Mendoza
Preço médio: 300 pesos por pessoa.
www.cavaswinelodge.com

Chacras de Coria, Mendoza

Eu quis fazer esse post uma coisa mais visual. Mendoza é tão bela que dispensa maiores comentários. Como eu comentei nesse post aqui, eu fiquei em uma cidade afastada da capital, Chacras de Coria. Para mim, melhor porque eu contava com carro alugado e queria ficar pertinho das bodegas e longe do caos.

Chacras foi uma descoberta deliciosa, cheia de restaurantes mini e locais, lotada de gente super simpática e a uma distância tão mínima de bodegas incríveis que dispensamos carro e ficamos pela bici mesmo. Outro post eu conto melhor em detalhes como foi tudo isso.

– Para ver post do hotel que fiquei: acessa aqui.

– Um café lindo em Mendoza.

– Para ver motivos para visitar a cidade, aqui.

– E a melhor experiência gastronômica da minha vida, foi aqui.


– Bodegas lindas, aqui.

Ainda moro em Mendoza.

Lares de Chacras, sonho de hotel!

Uma boa viagem, começa com a escolha de um bom hotel. Um hotel que não corresponde as expectativas, certamente trará pelo menos uma noite de discussão. Portanto, metade do sucesso de uma viagem – a meu julgamento – se deve a escolha de um hotel.
Tem pessoas que preferem hotéis de redes enormes diagnosticados com um entra e sai constante de gente; outras pessoas preferem albergues mesmo “afinal pra que gastar com hotel sendo que só passo por lá para dormir”? E tem gente que quer algo mais tranquilo, pessoal, no qual os próprios dono da casa te atendem e te chamam pelo nome.
 
Eu, particularmente, faço parte do último grupo. Para a viagem à Mendoza, deixei de lado a urbanização, o caos e os pacotes de agência de viagens e fomos em um busca de um sossego. A 20km da capital Mendoza, se encontra Chacras de Coria, e por ali a vida é bem diferente. A cidadezinha conta com uma igreja, pouquíssimos hotéis e raros restaurantes. Ahhh era tudo de mais especial. Foi ali também que eu encontrei inspiração pra começar o blog, pensei eu durante toda a viagem “As pessoas precisam saber da existência de certos lugares, como esse”.
 
Quando desembarque em Mendoza, aluguei um carro, e devido a falta de placas e sinalização fiquei perdida por mais de 3 horas. Perdida de verdade, passei por lugares feios, fiquei desesperada atrás de um sinal. Curiosamente, os habitantes de Mendoza são super cuidadosos e quando tinha chegado ao limite me deparei com um armazém simples, e uma localidade desconhecida relativamente pobre, um homem se aproximou e perguntou se precisava de ajuda. Olhei assustada e pensei “ferrou”. Fosse um tapa na cara ou não esse homem chamou um táxi e prometeu me levar ao hotel. Liguei para o Lares, também na esperança de que eles pudessem me ajudar, e tamanha preocupação (como se fossem nossos pais), fizeram então permanentes telefonemas para saber se já estava a caminho e se o tal táxi já havia chegado. Com pouco menos de 20 minutos de espera, o taxista me achou, e levei um baita susto quando percebi que havia me deslocado mais de 45 km do hotel.
Chegando naquele portão de madeira que antecede a entrada ao estacionamento do local, senti um alívio tão profundo como chegar em casa depois de ter tomado chuva. O coração aqueceu. Fui tratado como criança com total carinho. Me ofereceram as empanadas mais deliciosas que já antes havia provado, e um descaso a minha preocupação em querer fazer o check in aquela hora da noite, disseram: “Agora vai descansar”. Foi o que eu fiz.
 
Não sei na realidade que legenda por a cada foto, seja por não saber direito o que escrever, ou porque eu quero realmente que nada exterior atrapalhe minha tentativa de demonstrar o quão especial é o ambiente. Mas vou tentar. A seguir coloco fotos do hotel mais lindo que eu já me hospedei, o Lares de Chacras.

 

A recepção mais parece a sala de estar de uma casa de família. O ponto alto foram as mantinhas despojadas encima dos sofás. Mamãe teria adorado.

 

 

Mendoza, bodegas. Bodegas, Mendoza. Essa era um mini bodega underground no hotel, puro charme.

 

 

A parte de fora igualmente encantadora com sofás dispostos a tomar um sol.

 

 

Espreguiçadeiras cobiçadas a cada manhã.

 

 

Piscina tentadora.

 

 

O habitante mais fofo da região.

 

 

Quarto delicioso.

 

 

Suuuuper espaçoso, aconchegante e com direito a acesso direto a piscina.

 

 

Um café super família.

 

 

Y mucho dulce de leche.

 

 

Empanadas queridas.

 

E um vinho cortesia da casa.
Posso voltar já?

www.laresdechacras.com
Larrea 1266, Chacras de Coria. Mendoza, Argentina.
No Facebook: laresdechacras
No Twitter: @laresdechacras