Achados Fofos em Budapeste

Budapeste me surpreendeu e eu amei. A cidade parece que parou lá nos anos 80 hehe e eu ouvi essa música umas 6x enquanto estive na cidade (me lembrou muito das épocas que saia loucamente por Buenos Aires e galera só curtia os sons bregas dos anos dos cabelos armados).

Budapeste não é o padrão europeu que quem viaja pra lá está acostumado, mas sabe que isso é muito legal? Por vezes, se eu esquecesse que estava na Europa, poderia dizer que era uma cidade como Buenos Aires: tem suas belezas, sua bagunça, seu quê de coisa velha e é moderninha também.

No meio de tudo aquilo, nós visitamos lugares muito legais que gostaria de compartilhar com vocês:

Bar Pharma

Eu vi esse bar em um Instagram, não lembro de quem agora, e achei muito lindo. Parece que você está em uma farmácia das antigas e, apesar da foto não mostrar, o menu fica na parede e lembra a receituários velhos. A decoração conta com plantinhas penduras desde o teto, garrafas de Hendricks para todos os lados e uma pegada mais clean.

Os drinks não foram wow fabulosos, mas valeu bastante a pena passar uma noite por lá.

Bar Pharma: Kazinczy utca, 35/ www.facebook.com/barPharma.

budapeste 1bar pharma

Goamama

Foi nosso primeiro café da manhã por lá. O lugar tem um conceito mais rústico, cafés e comidinhas bem gostosas (só aceita dinheiro). Fica junto de uma loja de decoração e a julgar pelos artefatos do lugar, faz todo o sentido!

Gomama Coffee: Király 19-21/ www.facebook.com/wedoselect.

goamama budapeste 1Screen Shot 2017-04-14 at 6.05.26 PMgoamama budapeste 2

Budapest Market Hall

Qualquer cidade que se preze tem um mercadão local com comidas locais e a preço honesto. Em Budapeste não seria diferente. Nós comemos MUITO bem lá a um preço incrível (a cidade não é cara, mas o mercado é mais barato que a média). O lugar vive lotado, tem que ter paciência e não ligar de comer em pé também.

Budapest Market Hall: Vámház krt. 1-3/ www.budapestmarkethall.com

Screen Shot 2017-04-14 at 6.08.34 PMBUDAPES

Gettó Gulyás

Recebemos essa sugestão de uma seguidora do Instagram e eita, que jantar maravilhoso! Ah, se não fosse por uma local morando lá jamais saberíamos desse restaurante. Tudo era lindo! A casa, os pratos, a carta de vinhos, o atendimento. Dos lugares que eu queria importar hehe. O restaurante é focado em pratos típicos da culinária húngara e é bem frequentado por locais.

Gettó Gulyás: Wesselényi utca, 18/ www.facebook.com/gettogulyas.

getto guylasgetto guylas 1getto guylas 3

Vintage Garden

Dos lugares mais fofos da viagem. O Vintage Garden é um restaurante, um cafézinho e também uma doceria. Para fãs de lugares queridos é um must go.

Vintage Garden: Dob utca, 21/ www.facebook.com/vintagegardenbudapest.

Screen Shot 2017-04-14 at 5.49.44 PMScreen Shot 2017-04-14 at 5.51.08 PM

New York Cafe

Turístico? Sim. Caro? Sim. Mas eita lugar lindo. É tão famoso que tem fila para entrar a qualquer hora e é até uma parada dos ônibus turísticos que rodam pela cidade a toda hora. Me lembrei bastante da livaria Ateneo em Buenos Aires.

New York Cafe: Erzsébet krt, 9-11/ www.newyorkcafe.hu.

Screen Shot 2017-04-14 at 5.51.28 PMunnamed

Arioso

Mais um da lista dos cafés fofos pela cidade. Esse achei caminhando sem nenhuma pretensão pelas ruas da cidade e tcharã, muito amor

Arioso: Király u, 9/ www.arioso.hu.

Screen Shot 2017-04-14 at 5.52.24 PM

Siga! @amandamormito/ @dear.asia – para seguir minha jornada pela Ásia.

De Berlim à Modena: hospedagens e translados

Quando começamos a nos programar para nossa viagem tínhamos duas certezas: teríamos que começar pela Alemanha já que o Marcos ia correr a maratona em Berlim e deveríamos encerrar em Modena porque conseguimos a reserva na Osteria Francescana – o que iria acontecer no meio foi uma incógnita por muito tempo. Primeiro porque nós dois não temos foco: eu queria ter ido para a Grécia (e cobro ele até hoje por isso haha) e por ele nós teríamos chegado até a Sérvia.

Tentamos fazer um roteio meio nosso meio standard e fechamos no seguinte: Berlim, Praga, Budapeste, Viena, Hallstatt, Veneza, Modena, Verona. Dava pra colocar mais cidades e dava pra tirar algumas, mas ficou uma delícia esse roteiro e nós amamos.

Viajamos de São Paulo à Frankfurt e de lá à Berlim via Lufthansa (pegamos uma promo mara que vimos no Melhores Destinos, R$ 1500 cada passagem) e voltamos de Veneza a Frankfurt e de lá à São Paulo.

Em Berlim, o Marcos já tinha hotel fechado por conta do pacote da maratona e acabamos ficando no Ramada Mitte. Não é o estilo de hotel que eu procuro e pelo preço que ele vale dava pra ter ficado em um lugar BEM melhor, mas já estava pago e a gente não vai reclamar né? Hahah. Ele fica bem localizado, perto de metrô, mercado, lojinha e restaurantes e é um hotel mais estilo Ibis. Na tarifa não tem café da manhã e a acomodação é bem ok. Ponto. Da janela tinha um vista bonitinha.

screen-shot-2017-01-23-at-5-07-52-pm

De Berlim para Praga fomos de avião (saiu mais barato que trem) num teco teco que quase enfartei quando vi: não curto aviões – pra você que chegou agora nesse blog. Depois de muitas respirações e água, a viagem rolou tranquilamente. Em Praga nós nos hospedamos no hotel Rott. Não foi uma tarefa muito fácil escolher porque vimos vários lugares bem lindos por lá, mas o Rott no final das contas foi uma boa opção e mega bem localizado com café da manhã gostoso, atendimento honesto, comodidades legais e wifi haha.

screen-shot-2017-01-30-at-2-29-50-pm

Decidimos ir de Praga a Budapeste via trem e, apesar de não curtir avião, me arrependi de não ter voado. O trem húngaro que saiu de Praga era bem velho e também não era muito limpo hehe. A viagem toda tinha mais de 8h de duração e o trem não era nada confortável para dormir, além de ser bem frio.

Tirando o incômodo e a minha recomendação de fazer esse trecho por vias áreas, eu AMEI Budapeste – depois escrevo mais sobre. O cidade legal viu? Os hotéis lá são bem em conta e ficamos em um incrível, o Moments. A equipe do hotel era incrível e eles foram os responsáveis pelo melhor café da manhã da viagem e também o hotel mais barato que nos hospedamos.

64738873

Nossa seguinte parada foi Viena. E Viena é muito cara, acho que foi a cidade mais cara da viagem, sem brincadeira. Por isso escolhemos um baita ap no AirBnb que foi um achado> esse aqui ó. Nossos hosts foram uns queridos e não poderíamos ter acertado mais.

O ap era lindo, super limpo, arejado, tinha uns biscoitinhos que eu viciei (vide os da foto abaixo) e era mega bem equipado: deu pra cozinhar super e curtir os dias de chuva que rolaram pela cidade.

screen-shot-2017-01-30-at-3-36-09-pm

Desde que fechamos o roteiro da viagem queríamos incluir uma cidadezinha de interior no meio e Hallstatt foi a nossa escolha. A cidade é minúscula e parece saída de um conto de fadas (vou contar mais sobre ela nos posts a seguir) <3. Escolhemos o Hallstatt Hideaway para nos hospedar dentre tantas opções que pareciam ser saídas, também, de contos de fadas.

O que eu mais curti dessa pousada era a vista que tínhamos do quarto e o fato de ser cuidado pelos próprios donos, o que faz do lugar ser bem caseirinho.

Screen Shot 2017-01-30 at 3.51.56 PM.png

Nossa última parada foi Veneza. Como Veneza foi o lugar que passamos maior tempo fomos logo de AirBnb, caso contrário teríamos que ter vendido um rim para conseguir um hotel decente a bom preço. Demos sorte e escolhemos um ap que além de ser bem recomendado, era bem localizado e bonito :) link aqui. O único porém é o barulho da galera que passa na rua à noite, mas fora isso é uma bela pedida.

Sei que não é muito comum ficar em AirBnb em Veneza já que as casas por lá são bem velhas e custa achar algo honesto, logo aproveitem esse ap gostoso. E ah, o restaurante que fica na frente dele é fantástico também.

screen-shot-2017-01-30-at-3-57-56-pm

Nos posts a seguir vou comentar mais sobre os lugares que visitamos, comidinhas e dicas em geral. :) Espero que tenham curtido as indicações e qualquer dúvida é só colocar nos comentários abaixo.

Siga @amandamormito/ @casaqueviaja.